Cooperativas vão sugerir medidas para aumentar transparência

Representantes de cooperativas credenciadas se prontificaram hoje a apresentar, na próxima semana, propostas para diminuir a burocracia e para dar mais transparência ao trabalho da Codhab. Na conversa que tiveram nesta quinta-feira com o presidente da companhia, Gilson Paranhos, e com o diretor Imobiliário, Jorge Gutierrez, eles pediram uma aproximação maior do setor com o órgão. O presidente da Organização das Associações, José Paulino Neto, destaca entre outras reivindicações a opção de obterem financiamento próprio para construção de moradias e a criação de um grupo capacitado a solucionar os problemas dos cooperados nos órgãos públicos. Quer, ainda, a adoção de medidas contra a cooperativa que teria recebido favorecimento suspeito no governo passado. Ao todo, 488 cooperativas estão credenciadas na Codhab, com interesse nas unidades residenciais construídas em todo o Distrito Federal, representando mais de 100 mil pessoas.

Nas duas horas da reunião, realizada a pedido de cooperativas, Paranhos informou que alguns assuntos abordados pelos presentes estão sendo auditados. Citou como exemplo um terreno licitado no Guará no final do ano passado. "Não fechamos o olhar para nenhum problema, mas alguns pontos dependem da conclusão do setor jurídico'', explicou. O presidente da Codhab reiterou a disposição de "trabalhar para o público'', facilitando o acesso às informações e, sobretudo, tentando recuperar a credibilidade da companhia. Ele defendeu a realização de concurso público para escolha de servidores do órgão, de forma que o trabalho não fique sujeito a mudanças decorrentes da troca de governo. Falou, ainda, sobre a avaliação que está sendo feita no cadastro dos 147.416 habilitados no programa habitacional do Distrito Federal, na intenção de excluir pessoas que não atendam aos requisitos de não ter nem ter dito imóvel, de não residir a mais de cinco anos no DF e aqueles cuja renda mensal ultrapassa 12 salários mínimos, o que hoje corresponde a R$ 9.456,00.

VOLTAR AO TOPO