Foto sem descrição

Gilson Paranhos realiza palestra em Belo Horizonte sobre habitação de interesse social

O presidente da CODHAB, Gilson Paranhos, realiza palestra, na manhã desta quinta-feira (9), em Belo Horizonte (MG), na 4ª edição do Fórum Habitar: Habitação Social e Desenvolvimento Sustentável.  No evento, promovido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/MG), Paranhos irá falar sobre projetos e tecnologias para habitação de interesse social.

A maneira como a empresa pública tem aplicado a Lei 11.888/08, que prevê assistência técnica gratuita para famílias com renda de até três salários mínimos será o destaque da palestra. Com dez postos em várias regiões carentes do DF, a CODHAB realiza, sem custos, projetos urbanísticos, de acordo com as demandas da comunidade, e projetos de construção e melhorias habitacionais.

Paranhos também irá explicar como é o processo de regularização fundiária no Distrito Federal. Em dois anos e 11 meses de gestão, mais de 36 mil escrituras foram entregues para moradores de várias regiões do DF, que esperavam há décadas por seus documentos. “Queremos distribuir o equivalente ao que foi entregue em toda a história desde a criação do DF: cerca de 62 mil escrituras”, disse.

A implantação de concursos públicos para projetos de arquitetura para habitação de interesse social é outra ação bem sucedida da Companhia que será apresentada no Fórum. O presidente da CODHAB destacou que a escolha por essa modalidade licitatória garante maior participação dos profissionais especializados e a qualidade no resultado das obras.

“A pouca participação dos arquitetos e urbanistas nas obras, refletida nas péssimas condições das cidades brasileiras, demonstra que estamos adotando estratégias e metodologias que não funcionam. A ideia do concurso é justamente a de inverter esse processo”, explicou. 

Fórum Habitar

O seminário irá reunir, durante três dias em Belo Horizonte, os diversos agentes envolvidos com a temática da habitação – arquitetos, planejadores, funcionários públicos, membros dos conselhos municipais de habitação, movimentos populares, poder público, organizações, além de pesquisadores e estudantes da área – para promover uma discussão multidisciplinar envolvendo questões teóricas e práticas no campo do habitar na cidade.

 

VOLTAR AO TOPO