Codhab instala posto de assistência técnica no Sol Nascente

O presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB), Gilson Paranhos, e diretores do órgão despacharam, nesta sexta-feira, no posto de assistência técnica instalada no Setor Habitacional Sol Nascente. É o primeiro ponto de apoio e execução à Lei nº 11.888, de 24 de 12 de 2008, que prevê a assistência técnica gratuita na melhoria e na construção de equipamentos públicos e de moradias em áreas de interesse social. Presentes os diretores Cristian Viana, de Regularização e Interesse Social; Luiz Correia, da Administração; Jorge Gutierrez, Imobiliário, e Júnia Federman, da Produção habitacional.

Paranhos afirma que colocar essa lei em vigor é uma vitória para a sociedade. "Parece simples, mas é um choque, algo novo na maneira dos gestores agirem", afirma. Ele lembra que a assistência técnica "faz um atalho, diminui a distância entre a realidade e a expectativas das pessoas, aproxima os dois lados".

Com uma população em torno de 100 mil pessoas, Sol Nascente tem problemas de saneamento básico e da ação de grileiros. Em março, houve no local a derrubada de casas construídas na área pública destinada à construção de uma bacia de drenagem da água da chuva. A assistência técnica da Codhab assumiu a responsabilidade pela preservação do meio ambiente da área, sobretudo no trecho I, na proximidade das lagoas de drenagem. Trabalham no posto da companhia cinco arquitetas e uma assistente social. Uma faixa ali colocada homenageia os arquitetos Milton Ramos, João Filgueiras, o Lelé, o ex-deputado e arquiteto Zezéu Ribeiro - os três falecidos, e o arquiteto Clovis Ilgenfritz pelo papel importante que desempenharam na melhoria dos conjuntos habitacionais de interesse social.

Cerca de 20 mil pessoas moram no trecho I. Paranhos e os diretores da Codhab se reuniram no posto com o prefeito comunitário do trecho I, II e III, Edson Lopes, e os líderes comunitários Pedro Barros e João Barros. Lopes pediu aos dirigentes da Codhab que promovam alteração no projeto de urbanismo previsto para o local, a fim de executar a remoção e a recolocação de moradores cujas moradias impedem a colocação dos dutos da bacia de drenagem. O prefeito lamentou o crescimento desordenado do Sol Nascente, sem que haja a realização de nenhuma das promessas feitas pelos governos anteriores. Foi endossado pelo líder Pedro Barros que, igualmente, se disse cansado de ouvir "apenas promessas". "Espero que as coisas aconteçam, todo ano vem gente conversar e nada acontece", desabafou.

O presidente Gilson Paranhos pediu a todos que se unam para mudar essa situação. "Tudo o que foi feito no Sol Nascente estava disperso, temos de promover o trabalho da base para cima", defendeu. Ele falou da iniciativa da CODHAB para abrir, nos próximos dias, as inscrições ao concurso público nacional para escolha dos projetos de prédios residenciais e de equipamentos públicos que serão construídos no local.

Gilson Paranhos e diretores também estiveram na Ceilândia, na QNR, no posto da Polícia Militar onde, em meados de maio, começa a funcionar o segundo posto de assistência técnica da CODHAB.

VOLTAR AO TOPO