Diretoria Imobiliária da Codhab ouve síndicos do Paranoá Parque

O diretor Imobiliário da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB), Jorge Gutierrez, se reuniu na noite de quarta-feira com os síndicos de sete dos oito condomínios do Residencial Paranoá Parque. Na pauta, foram abordadas as dificuldades enfrentadas pelas famílias que ali residem, em torno de 1.856 pessoas, como a falta de escola, postos de saúde, policiamento, transporte e nas dificuldades da gestão condominial. Também foram tratadas as deficiências na infraestrutura dos 120 prédios construídos no local, cada um deles com 16 apartamentos. Os condomínios são ainda representados pelos subsíndicos e pelo conselho consultivo.

Os apartamentos do Paranoá Parque foram entregues no ano passado, sem que tenham sido construídos equipamentos públicos para atender a população. A atual gestão da Codhab trabalha desde o início do ano para construir escolas e posto de saúde e para que o local seja incluído no trajeto do transporte público. Por ora, as crianças assistem aulas em escolas localizadas no Paranoá, Asa Norte, Itapoã, Sobradinho e Planaltina. Dois ônibus providenciados pela administração do Paranoá e Secretaria de Educação fazem o transporte dos estudantes para Sobradinho e Planaltina. Os demais pagam do próprio bolso ou utilizam vale-estudantil.

Os síndicos se queixaram de problemas na infraestrutura e das dificuldades no relacionamento com a assistência técnica da Construtora Direcional, encarregada da obra. Gutierrez se comprometeu a conversar com os dirigentes da empresa, inclusive para assegurar horário determinado no funcionamento da assistência técnica. Segundo ele, é importante que todas as pendências de equipamentos públicos sejam priorizadas. "É esse o caminho para assegurar melhor qualidade de vida aos moradores do Paranoá Parque", esclareceu.

No encontro realizado no centro comunitário da quadra 4 do lote 6, o diretor imobiliário da Codhab apresentou aos síndicos o novo chefe da Assessoria de Mobilização Social, Eric Moitroux. Caberá a ele, segundo Gutierrez, desenvolver e executar as ações sociais previstas no Projeto Técnico Social (PTS).

VOLTAR AO TOPO