Gestores do governo se reúnem no Posto de Assistência Técnica do Sol Nascente

A diretoria da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (CODHAB) voltou a se reunir, nesta sexta-feira, no posto de assistência técnica do Setor Habitacional Sol Nascente para tratar das obras de instalação da rede de drenagem e da construção das 10 bacias de contenção da água da chuva. A reunião, desta vez, contou com a participação de representantes de órgãos do governo envolvidos no empreendimento, considerado essencial para a regularização da área. Também estiveram presentes o administrador da Ceilândia, Vilson de Oliveira, e líderes da comunidade.

Com cerca de 100 mil moradores, Sol Nascente dispõe de um projeto urbanístico dividido em três trechos. A ofensiva inicial se dá no trecho 1, onde estão em andamento as obras de construção das bacias seis e sete. O presidente da Codhab, Gilson Paranhos, voltou a defender o início imediato de obras paralelamente à desocupação de áreas invadidas, como meio de desestimular novas invasões. Ele apontou a necessidade de haver o "nivelamento de informações" da parte de todos os órgãos que atuam no projeto para impedir desencontros e atrasos nas obras.

Para a presidente do Instituto Brasileiro Ambiental (Ibram), Jane Villas Boas, é preciso haver um amplo trabalho de convencimento da população local para que os moradores tomem conhecimento e apoiem as obras. "É preciso saber a autoria do trabalho que causará sofrimento em alguns, mas que será de grande utilidade para todos", alegou. O subsecretário da Secretaria de Infraestrutura e Obras, Fernando Chagas, informou sobre os locais da área a serem desobstruído porque inviabilizam a instalação da rede de drenagem.

Ficou acertada uma nova reunião na tarde da segunda-feira para fixação de um cronograma de trabalho. Dirigentes da Codhab e representantes de outros órgãos do governo ficaram, ainda, de se encontrar nas sextas-feiras, no posto de assistência técnica, para acompanhar de perto o andamento das obras. O posto da Codhab foi inaugurado dia 16 de abril, poucos dias depois da retirada de pessoas que ocupavam áreas negociadas por grileiros.

VOLTAR AO TOPO