Governo entrega mais 400 apartamentos no Riacho Fundo II

Quatrocentos apartamentos, distribuídos em três condomínios, foram entregues neste sábado (5) no residencial Parque do Riacho, no Riacho Fundo II. As famílias contempladas fazem parte da faixa 2 do programa Morar Bem — vinculado ao Minha Casa, Minha Vida, do governo federal —, destinada a pessoas com renda familiar de R$ 1.600,01 a R$ 3.275. Os imóveis são de dois e três quartos.

Onze dos novos proprietários receberam as chaves das mãos do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. "É uma alegria muito grande compartilhar o sonho e a felicidade das pessoas", afirmou. "Estamos combatendo a grilagem e a ocupação irregular do solo, promovendo a regularização fundiária e entregando unidades habitacionais."

Uma das contempladas é a doméstica Josefa Medeiros da Silva, de 54 anos. Ela mora em Taguatinga, de aluguel, com o marido e um filho. "Hoje estou realizada com o apartamento todo pronto; é gratificante ter em mãos a chave da nossa moradia própria."

O chefe do Executivo agradeceu ainda ao Banco do Brasil pelo empréstimo de R$ 41,32 milhões. O recurso foi liberado no início do ano, de um total de R$ 67,78 milhões solicitados por meio do Programa de Financiamento da Contrapartida do Programa de Aceleração do Crescimento (CPAC) do governo federal. A verba permite obras de infraestrutura no Parque do Riacho, como drenagem, terraplenagem e pavimentação.

De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), com a entrega de hoje, desde o início de 2015 foram recebidas 2.524 unidades habitacionais — 56 delas em Samambaia, 84 em Santa Maria e 2.384 no Riacho Fundo II.

Também participaram da entrega o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, o administrador do Riacho Fundo II, Francisco Vicemar Medeiros, o presidente da Agência de Desenvolvimento (Terracap), Alexandre Navarro Garcia, o diretor-presidente da Codhab, Gilson Paranhos, e o superintendente regional de governo do Banco do Brasil, Antonio Carlos Servo.

Fonte: Agência Brasília

VOLTAR AO TOPO