Foto sem descrição

CODHAB apresenta case do Distrito Federal

O case da implantação de seis postos de assistência técnica no Distrito Federal foi detalhado na apresentação do presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), Gilson Paranhos, durante o Seminário Nacional Campo Grande + 10, no Mato Grosso do Sul. Com apresentação de imagens, ele detalhou o trabalho e os dilemas que surgem no dia a dia da atividade. O dirigente defende o trabalho por produtividade. "Não dá para avaliar o trabalho de um Arquiteto e Urbanista por hora. A produtividade pode ser avaliada por RRT", destacou.

Ele destacou que todas as ações realizadas pela companhia são por meio de concurso público nacional. Um dos primeiros projetos foi para elaboração da nova logomarca da Codhab, mas há outros em andamento. "Estamos começando a aprender, mas acho que a gente está no caminho certo", salientou, lembrando que o posto Sol Nascente é o que vem dando melhores resultados, apesar de cada um ter demandas diferentes.

A ideia é licitar cada um dos postos de assistência da Codhab para enxugar a estrutura subordinada ao governo. No entanto, a coordenação do trabalho seguirá a cargo da companhia. "Assistência técnica não pode ser um problema de governo, nem ter seu sucesso entregue ao poder público". Contudo, admite ele, muitas vezes, é dentro do governo que surge a oportunidade de implementar o sistema. "Quando cheguei eu pensei: será que vou ficar três meses? Já são dez.", disse, reconhecendo que a ação é uma tarefa árdua. Ele admite que se precisa buscar políticas de estado, mas que se está inovando. "Qualquer coisa nova que se faz tem suas dificuldades".

O dirigente criticou as leis que regem o processo, admitindo que elas acabam se tornando empecilhos à execução de uma política de estado, uma vez que as mesmas não são formatadas, pensadas em prol dos mais pobres.

Fonte:Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas - FNA

VOLTAR AO TOPO