CODHAB informa sobre obras de infraestrutura no Residencial Parque do Riacho

Construtora pede um mês e meio para conclusão dos trabalhos

Em reunião com a diretora de Produção Habitacional da CODHAB, Júnia Federman, a construtora Artec entregou, no início da noite de hoje, segunda-feira, o cronograma de conclusão das obras de infraestrutura em sete condomínios do Residencial Parque do Riacho. As obras para instalação das redes de água, esgoto e energia elétrica - essenciais para a obtenção do habite-se - estarão concluídas até o dia 15 de março, de acordo com a empresa. Serão beneficiados os condomínios 6, 17, 18, 19, 20, 21 e 22. No encontro que terá amanhã, terça-feira, com diretores da CEB e Caesb, o presidente da Codhab, Gilson Paranhos, vai pedir pressa na avaliação e liberação dos equipamentos de luz e água que serão instalados pela construtora.

As informações respondem às indagações de proprietários de unidades habitacionais do Parque do Riacho, recebidos na manhã de hoje por Paranhos. Representando cerca de 10 mil pessoas, Wagner Alexandre lembrou que a entrega dos imóveis estava prevista para dezembro último. Desde então, eles continuam pagando juros obra - previstos antes do recebimento da moradia - aluguel e não têm como programar a mudança de casa. "Estamos angustiados, os apartamentos estão prontos e ninguém informa quando serão entregues'', lamentou. Gilson Paranhos prometeu se empenhar para evitar que outros proprietários enfrentem o mesmo problema. ''A porta da CODHAB está aberta, vamos cobrar pessoalmente das construtoras e nem um centavo será repassado enquanto as obras não forem concluídas''. Ele informou que o procedimento se estenderá a todos os empreendimentos. Paranhos falou da expectativa da CODHAB de entregar 60 mil moradias nos quatro anos de gestão do governador Rodrigo Rollemberg. Júnia Federman informou aos proprietários de apartamentos do Parque do Riacho que o atraso nas obras se deu inicialmente pelo questionamento da licitação, feito em 2013, pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal. Com relação às obras de infraestrutura, a diretora transmitiu a informação recebida da Construtora Artec , de que a paralisação dos trabalhos se deu porque faltou no mercado peças e equipamentos ''que dão funcionalidade ao empreendimento''.

VOLTAR AO TOPO